terça-feira, 28 de abril de 2015

ALUNOS INSPIRADORES

Para podermos dar conta dos compromissos com as notas do bimestre, uma vez que iniciamos nesta escola há tão poucos dias e não foram suficientes para a exploração dos conteúdos desta etapa, propusemos em cada sala um tema para ser expresso em imagens ou palavras, mas, neste caso, como estamos numa aula de artes, em linguagem de poema ou poesia.
Os resultados de todas as classes surpreenderam, e muito. Tanto que, como havíamos previsto, voltaremos no tempo para falar de Expressionismo e Surrealismo.
Alguns alunos expressaram-se nestas linguagens, que, segundo eles, ainda não conheciam, embora estes conteúdos já devessem fazer parte de seu currículo, pois a maioria está no terceiro ano do Ensino Médio.
Mas, vamos aos trabalhos que inspiraram estas aulas:
O tema proposto foi: "Cada minuto que passa é tudo que me resta a viver e eu desperdiço o tempo como se ele fosse infinito". É um trecho de um poema de um autor fictício chamado "Pedro Cassiano de Aguilar". 
Com uma obra com traços Surrealistas Leonardo Ferreira Boschi do 3º Médio B.


Mas o que é Surrealismo?

O surrealismo foi um movimento artístico e literário que surgiu por volta dos anos 1920 e procurava expressar a ausência de racionalidade humana e as manifestações do subconsciente. As características deste estilo: uma combinação do representativo, do abstrato, do irreal e do inconsciente. Segundo os surrealistas, a arte deve libertar-se das exigências da logica e da razão e ir além da consciência cotidiana, procurando expressar o mundo do inconsciente e dos sonhos, livre das opressões sociais. Este movimento inspirou-se muito na psicanálise de Freud, uma vez que são contemporâneos ( ou seja: do mesmo tempo). Teve como seus principais expoentes: Salvador Dali



JOAN MIRÓ



MAX ERNEST, entre outros



Continuando aos trabalhos do Alunos:

Com traços Expressionistas Elbert Lopes Polombino do 3ºMédio C



 e Willian do 3º E


Mas, o que é Expressionismo?

O expressionismo corresponde à "deformação" da realidade para expressar de forma subjetiva a natureza e o ser humano dando primazia à expressão de sentimento em relação a simples descrição objetiva da realidade. O movimento começou a despontar com algumas obras de Vincent Van Gogh. Embora Van Gogh seja mais conhecido como um artista Pós Impressionista, os trabalhos do final de sua vida, influenciaram os Expressionistas. Veja na obra Noite Estrelada, como o movimento das pinceladas e o uso das cores transmitem um movimento, uma revolução interna do artista e da natureza.



   O Movimento revelava o lado pessimista da vida, desencadeado pelas circunstancias históricas de determinado momento. Os expressionistas proclamavam que o único objetivo aceitável da arte era representar emoções e sentimentos, através da distorção das formas e do uso simbólico das cores. Não foi um movimento que se restringiu à pintura e escultura, mas que se ampliou pela literatura, teatro e cinema, e, até hoje é possível vê-lo em algumas obras de artistas contemporâneos. 
Não podemos nos esquecer que todos os movimentos artísticos não brotam do nada, mas fazem parte de um contexto histórico e social, e, no caso do expressionismo, o seu auge foi durante a Primeira Guerra Mundial, embora, como já dissemos já se prenunciava no final do século XIX. Segundo alguns teóricos é uma arte recorrente em momentos de crise.
Mas seu representante mais emblemático e conhecido é Edvard Munch com sua obra "O Grito" (1893).


Outro Artista que veio a influenciar o Expressionismo - James Ensor

Obra: "Esqueletos disputando um Arenque defumado" de 1891

Franz Marc o Artista dos animais

Vassily Kandisky com seu Expressionismo Abstrato, onde obtinha suas imagens aos sons de músicas



Paul Klee, um dos artistas mais influentes do século XX

Mas, como dissemos anteriormente, o nosso foco é a Arte Contemporânea, ou pós Pós Moderna, como dizem alguns críticos de arte e só voltamos ao expressionismo devido a alguns trabalhos apresentarem estas características e, também para mostrar um contraponto a trabalhos contemporâneos que remetem a ele, como é o caso desta obra que abre o blog, da artista Agnes Cécile, por exemplo:

E Esta outra obra da mesma artista

ou ainda algumas obras do Grafiteiro Ander Lemes, "o Alemão"

E esta outra


Agora, olhando bem para as obras do "Alemão", será que podemos classificá-la como uma obra contemporânea com características Expressionistas? Ou seria com características Surrealistas? 
O que pensam o alunos sobre essa obra?

Bem, mas voltemos aos trabalhos dos alunos novamente:

E duas obras com traços do Renascimento (sec. XV e XVI), que em meados do século XVIII até meados do século XIX voltou à tona, agora como Neoclassicismo, mas que, na verdade, ambos os movimentos eram inspirados na Arte Clássica dos Gregos (sec. V A.C.) - o trabalho de Thiago Manoel do 3º B.


 E de Larissa Lopes da Silva do 3º B



Bem, voltaremos à Antiguidade Clássica ou Arte Greco/Romana, Renascimento e Neoclassicismo em outro momento.




segunda-feira, 27 de abril de 2015

CRITÉRIOS PARA CONSTRUÇÃO DE TRABALHOS EM ARTES

Embora eu já tenha passado e comentado estes critérios em classe, vou deixá-los registrados aqui, pois podem ser úteis para todos os trabalhos que faremos daqui para a frente. Não apenas para a construção do trabalho, mas serão os mesmos critérios utilizados para atribuição de notas. Mas, se olharem atentamente para cada item, chegarão à conclusão que estes critérios podem ser aplicados em muitos outros trabalhos, como criação de textos, propaganda, vídeos.

1. Relação Forma/Conteúdo
2. Percepção Estética
3. Imaginação Criadora
4. Construção de Conceitos
5. Relação com a cultura do meio do Artista ( ou Aluno), ou outras culturas
6. Poética
7. Novidade ou outras formas de falar a mesma coisa
8. Fuga do Óbvio
9. Linguagem Simbólica
10. Domínio da Matéria ( Ou seja, técnica. Seja para uso das palavras, ou das tintas, ou de uma pedra para o escultor, ou das notas musicais para o músico).

Em seguida um vídeo inspirador para os terceiros anos que estão com esse desafio, onde, se analisarem com cuidado perceberão que atende a todos estes quesitos, principalmente a poética, a linguagem simbólica, a relação com a cultura ocidental. Pode ser que para os orientais não tenha o mesmo sentido, embora estejamos vivendo num mundo globalizado.


sexta-feira, 24 de abril de 2015

POÉTICA E INSPIRAÇÃO EM FOTOGRAFIA

Foi pedido ao pessoal dos primeiros anos do médio que fotografassem em seu Bairro ( Praia Azul/Americana) tudo que achassem significativo. Mas, que procurassem fotografar não apenas o que os olhos veem, mas lançar um olhar à poética de cada local, de cada fragmento, de cada objeto.
Para inspirá-los na tarefa apresento-lhes o trabalho da família Zuppani ( pai e 2 filhos) que têm encantado àqueles que têm a oportunidade de conhecer os trabalhos. O pai é arquiteto, paisagista e fotógrafo profissional e passou aos filhos o gosto pela arte da fotografia. Já viajaram o Brasil todo fotografando todo o nosso biossistema, nosso povo, nosso patrimônio cultural material e imaterial, de forma inusitada e poética. Tive a felicidade de conhecer a família e ter aulas de paisagismo com o pai e de ir a uma exposição deles em Santos.


Lembram do que lhes falei, que muitas vezes o título da obra, ou alguma coisa escrita pode complementar a poética ou o conceito daquilo que se deseja expressar?
 Este trabalho é do .

Outra foto do  mostrando o reflexo da torre da Igreja nos Azulejos. Infelizmente na ocasião não registrei o local da foto. Vamos aguardar, quem sabe eles aparecem por aqui para nos dar uma "palinha".

Outra foto do Zé à qual intitulou "Como um Rastro de Tinta Azul". Observem que trata-se de reflexos nos vidros de alguns carros. Lembram do que foi falado sobre a "Novidade ou outras formas de se falar a mesma coisa"?

Esta foto é do pai DU e se chama "ANOITECER EM MAUÉS (AM)"

"Momento Gastronômico Mata Atlântica" - também do Du Zuppani.


Este é Palê Zuppani e, apenas agora, colhendo material para este post é que eu soube da "passagem" de Palê, que se encontrava com Leucemia desde 2010. Meu coração se enche de tristeza e envio todo meu carinho à família.
Nada mais a dizer.




segunda-feira, 6 de abril de 2015

PROJETO DE INSTALAÇÃO EM SALA DE AULA


Para facilitar o entendimento da atividade disponibilizamos aqui um projeto de instalação com elementos muito simples e a valorização da Ideia.
O Tema era o Meio Ambiente. A Aluna criou uma poética para a obra antes de apresentá-la.

Nome da Obra: Harmonia e Caos

Poética da Obra:
"Na natureza reside a harmonia
O homem quer a harmonia, mas vilipendia a natureza
Maltrata os animais, maltrata a si mesmo
Em nome de sua estabilidade desestabiliza o sistema.
A Harmonia e o vazio
...O vazio do caos.
A inexistência de sentido
O Fim da Matéria.
A canção diz:
“Como ficam todos os sonhos que você disse que eram meus e seus”?
E você, nem eu sabemos responder
Fomos todos longe demais!
O tempo urge
Quem acionará os comandos?"

A Obra


UMA PORTA QUE SE ABRE



Ao abrir a porta existe um comando que deverá ser acionado e inicia-se um vídeo.
O vídeo utilizado para complementar a Obra:

video

Comentários sobre a atividade:


A obra é uma crítica ao nosso momento atual. Em todos os movimentos artísticos estudados vimos que o artista é influenciado pelo seu meio e pelo momento político, social e cultural em que ele se encontra. O que me afeta hoje? O que eu quero falar? O que eu quero gritar?
Contudo, foi usado uma mistura de linguagens que remetem ao conceitual e ao pop art, como os quadrinhos, que numa exposição poderiam se transformar em telas de LCD, ou pintura mesmo. Uma parte deles com imagens harmônicas da Natureza, a outra parte mostrando a sua destruição. A colagem da porta que se abre para mostrar que o tempo está passando. E também com a colagem do relógio, do botão de comando e o vídeo, que numa exposição deveria iniciar quando a porta fosse aberta. O vídeo faz parte integrante da obra.
Deixar a porta entreaberta para aguçar a curiosidade do interlocutor e, no momento em que ele abrir a porta apagam-se todas as luzes e inicia-se automaticamente o vídeo. Este vídeo foi escolhido, não só pelo seu conteúdo, mas pela emoção que ele transmite e pela interpretação de Michael Jackson que consegue transformar o medonho e hediondo em uma mensagem de alerta, em um grito de dor pelo planeta, pelos animais, pelo Humano.
Experiência muito interessante que nos obriga a pensar e a criar, a refletir sobre nossas vidas e os caminhos que estamos percorrendo e os destinos a que estamos nos submetendo.